Na opinião da Dra. Silésia Maria Veneroso Delphino Tosi, especialista em testes de inteligência, com Doutorado em Neuropsicologia pela USP: 

“Hindemburg Melão Jr. é considerado uma das pessoas mais inteligentes do Brasil, destaca-se por sua incomparável capacidade de raciocínio lógico e pensamento abstrato, em outras palavras por sua excelência no que há de mais evoluído no pensamento humano.”
 
Na opinião do Coronel José Paulo do Prado Dieguez, professor de Cálculo Numérico no Instituto Militar de Engenharia e autor de livros acadêmicos: 

“Tudo que é tocado pela intelectualidade de Hindemburg Melão Jr. se transforma em riqueza de conhecimentos. Dotado de uma capacidade cognitiva incrível, que lhe permitiu tornar-se profundo conhecedor de variados assuntos, e de um raciocínio brilhante que o capacita a contestar conceitos e lançar novas idéias sobre estes assuntos.”

Na opinião de João Antonio Locks Justi, finalista em Olimpíada Brasileira da Matemática, especialista em Direito Tributário e autor de inovações em Matemática, Ciência da Computação e Criptografia: 

“Não há intelectual no Brasil ou no mundo que produza conteúdo de profundidade e originalidade similar à obra de Melão Jr. Além disso, Melão Jr. assume a posição simultânea de inovador e divulgador das idéias – em ciência, são raros os pesquisadores que fazem inovações relevantes, como Newton e Einstein; da mesma forma, são raros os que conseguem divulgar estas idéias de forma didática e cativante para o público leigo, muitas vezes influenciando os leigos a deixarem de sê-lo, como Carl Sagan. Melão Jr. assume simultaneamente os dois papéis em seus artigos, inovando e divulgando de forma brilhante em variadas áreas.”

Conheça outras opiniões sobre Hindemburg Melão Jr. aqui.
 
 

RESUMO BIOGRÁFICO-CURRICULAR

 
 
Hindemburg Melão Jr. nasceu na Zona Leste de São Paulo, onde passou sua infância e adolescência. Seu pai ficou órfão muito cedo e começou a trabalhar enquanto ainda era criança, tendo inclusive deixado os estudos na segunda série do primário para ajudar em casa. Chegou a trabalhar como engraxate, ajudante de mecânico, ajudante numa fábrica de vidro e caminhoneiro; sua mãe era neta de índios e foi professora de Ensino Fundamental na rede pública estadual. 

Embora tenha crescido num ambiente sem abundância financeira e cultural, apresentou diversos talentos precoces e um comportamento muito diferente do das outras crianças, a tal ponto que, aos 3 anos de idade, seus pais o levaram para ser examinado psicologicamente e constatou-se que tinha a idade mental de 9 anos. Isso corresponde a um QI em torno de 300 na escala Cattell, equivalente a 200 na escala Stanford-Binet. Para efeito de comparação, o QI médio da população mundial é 100 e o QI médio no Brasil é 87. De acordo com a classificação originalmente proposta pelo Dr. Lewis Terman, o QI necessário para ser considerado “superdotado” é 140 e para ser considerado “gênio” é 180. De acordo com Garth Zietsman em http://miyaguchi.4sigma.org/hoeflin/power/power_estimate.html o QI médio dos engenheiros do MIT é 144 e a média dos ganhadores do prêmio Nobel em áreas científicas é 155. 
 
A partir dos 5 anos, Hindemburg já apresentava profunda curiosidade sobre temas científicos. Aos 9 anos deduziu alguns dos princípios da Geometria Fractal e aos 13, antes de aprender algo sobre logaritmos, desenvolveu um método para calcular logaritmos diferente do de Napier. 


No início do século XX, estudos desenvolvidos nos Estados Unidos pela Dra. Leta Hollingworth mostraram que crianças com QI acima de 160 e principalmente acima de 180 tendem a abandonar a escola, já que as tarefas escolares não oferecem desafios estimulantes, o ritmo de ensino não acompanha o ritmo de aprendizado destas crianças, não se valoriza a criatividade nem o pensamento crítico. O ensino convencional se resume a decorar e repetir informações. Esse problema é especialmente grave entre crianças pobres. Thomas Edison, Michael Faraday, Steve Jobs são alguns exemplos de crianças profundamente talentosas, provenientes de famílias com poucos recursos, que abandonaram precocemente a vida acadêmica. Nestes três casos, apesar de terem enfrentado numerosas adversidades, conquistaram sucesso profissional, mas são exceções. A grande maioria destas crianças acaba como Christopher Michael Langan (QI 195, segurança em boate) ou Rick Rosner (QI 193, modelo nudista), em sub-empregos, resultando num inestimável prejuízo para o mundo, já que poderiam contribuir para a cura de numerosas doenças e solucionar uma larga variedade de problemas científicos, sociais, tecnológicos, educacionais etc. 


Para tentar solucionar esse catastrófico problema de evasão escolar, que implicava justamente a perda das mentes mais brilhantes do país, Dra. Hollingworth fundou uma instituição para identificar crianças com este perfil e oferecer cursos especiais a elas, respeitando o ritmo individual de aprendizado, incentivando a produção criativa e a análise crítica. Até hoje The Hollingworth Center for Highly Gifted Children  http://www.hollingworth.org/ atende anualmente centenas de crianças talentosas e as orienta para a carreira acadêmica, ou para a área na qual apresentam maior vocação, assegurando que se tornem cidadãos produtivos e contribuam para o bem-estar da comunidade. 


De acordo com Dra. Eunice Maria Lima Soriano do Alencar, em 1978 havia nos Estados Unidos 1200 instituições destinadas ao ensino especial para crianças talentosas. Em Israel, no Reino Unido, na Alemanha, na França, na Austrália e em praticamente todos os países desenvolvidos, também há numerosos institutos com propostas semelhantes. Um emitente educador australiano declarou que considerava muito importante o investimento na educação especial de portadores de altas habilidades porque esse é o recurso natural mais valioso de uma nação. De fato, nos anos 1970, a China, a Índia e a Tailândia iniciaram um vigoroso processo de incentivo e apoio a crianças e jovens talentosos, com massivo investimento na educação especial. A Tailândia não deu continuidade ao projeto, mas a China e a Índia logo começaram a colher os excelentes frutos desse empreendimento, cujos resultados, cerca de 15 anos depois, começaram a se refletir num acelerado desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, econômico e social, elevando estes países à condição de principais potências mundiais e com mais rápida ascensão nos últimos 30 anos, melhorando substancialmente a qualidade de vida de todos os seus cidadãos. Lamentavelmente não existe nada similar no Brasil. 


A vida escolar de Hindemburg não foi muito diferente do esperado, com base nos estudos da Dra. Hollingworth, sobretudo por viver no Brasil, onde o descaso com a Educação Básica é aviltante, e muito pior ainda com a Educação Especial, que praticamente não existe no país. Hindemburg abandonou os estudos várias vezes, desde a 5ª série, até se afastar definitivamente no 1º semestre da faculdade de Física. Embora não tenha optado pela carreira acadêmica, acabou produzindo um legado intelectual muito substancial, com numerosas inovações. 

Hindemburg é autor de mais de 1700 artigos em diferentes campos do conhecimento, inclusive com propostas inovadoras de considerável relevância em Investimentos, Psicometria, Xadrez, Astrometria, Astrofísica, Ciência Cognitiva, Filosofia, Teologia, Antropometria, Biomedicina, Gerenciamento de riscos, Data Science, entre outras. Hindemburg também é detentor de alguns recordes mundiais em atividades intelectuais, um dos quais está registrado no Guinness Book, edição de 1998, páginas 110-111. 

Desde muito criança, apresentou memória excepcional para números e para Xadrez, característica que herdou dos pais, já que ambos apresentavam hipermnésia. Anos mais tarde, esta característica contribuiu para que quebrasse um recorde mundial em Xadrez às cegas, bem como contribuiu para reconhecer e organizar grande número de padrões que ocorrem no Mercado Financeiro, padrões que indicam assimetrias nas probabilidades de que as cotações sigam em determinada direção e, com isso, utilizou estes padrões no desenvolvimento do sistema de Inteligência Artificial Saturno V, com o qual conquistou mais de 20 prêmios internacionais de alta performance em rankings de fundos como Preqin, Barclay's Hedge e IASG.
 
Entre 1999 e 2006, mesmo sem qualquer formação acadêmica, Hindemburg foi um participante destacado nos fóruns privativos e grupos de debates das principais comunidades para superdotados e gênios, a ponto de receber convites para se tornar membro honorário em algumas das sociedades de elevado QI mais exclusivas do mundo, em vários países nos 5 continentes. Veja o que dizem sobre Hindemburg alguns dos frequentadores destes grupos.

Hindemburg é fundador de Sigma Society, uma associação cultural multidisciplinar para pessoas com QI acima de 132 pela escala Stanford-Binet, semelhante à Mensa. Também é fundador de Sigma VI, para pessoas com QI acima de 196 pela escala Stanford-Binet. É autor do Sigma Test e do Sigma Test VI. O Sigma Test foi traduzido para 14 idiomas, foi publicado em 7 revistas especializadas e é aceito como critério para admissão em várias sociedades de alto QI. O Sigma Test é considerado um dos mais difíceis e mais criativos que existem. Veja aqui a matéria de Marco Ripá sobre o Sigma Test e veja as opiniões de alguns proeminentes intelectuais sobre este teste neste link: depoimentos
 
A tabela a seguir mostra algumas informações estatísticas sobre cada faixa de QI, com base na escala Stanford-Binet: 

 

 

QIs.png

 

No Xadrez, Hindemburg foi campeão invicto no Torneio Internacional Master Class ICCF 1999, campeão invicto no Grupo 1 do Zonal Sulamericano ICCF 1999, classificou-se para representar o Brasil na semifinal do Campeonato Mundial ICCF, foi convidado por Mario Ceteras, capitão da equipe “Potaissa Turda”, da Romênia, para representar aquele país na Liga Europeia dos Campeões ICCF de 2002 e foi indicado pelo Campeão Brasileiro e Grande Mestre Internacional Salvador Homce De Cresce para representar o Brasil na Olimpíada de Xadrez da ICCF de 2004. É autor de mais de 450 trabalhos de análises e comentários de jogos de Xadrez publicados nos principais periódicos internacionais, entre os quais o Sahovski Informator, Encyclopedia of Chess Openings, Chess Base Magazine, La Mecca Encyclopedia of Chess, Super Ajadrez Hispano Americano e Mega Database. 
 
Em 2010, Hindemburg desenvolveu um método para medida de performance ajustada ao risco em investimentos, que apresenta vantagens importantes em comparação aos métodos desenvolvidos por William Sharpe (Nobel de Economia em 1990) e Franco Modigliani (Nobel de Economia em 1985). A proposta foi apresentada no Congresso Nacional de Robôs de Investimentos de 2015. 
 
Criou um método para determinar o número de hipervolumes gerados por hiperplanos que intersectem polítopos regulares com qualquer número de dimensões. Um caso particular desse problema foi publicado na forma de questão do Sigma Test VI em 2002.

Autor de um novo método para cálculo de IMC superior ao método tradicional. O trabalho foi publicado inicialmente na forma de artigo, em 2003, no site de Sigma Society. Em 2008 este artigo foi ampliado e transformado em livro, sob o título “IMC na balança”, ISBN 978-85-613-0618-2. Em 2013, o diretor do Grupo de Análise Numérica do Instituto de Matemática da Universidade de Oxford, Nick Trefethen, sem ter conhecimento sobre este trabalho, propôs uma fórmula essencialmente idêntica à apresentada na primeira metade do artigo de 2003 e na primeira metade do livro de 2008. 

Autor da (provável) melhor solução para o Shannon Number, em 2002. Trata-se de um problema de Análise Combinatória que permanece insolúvel há mais de 500 anos. Consiste na determinação do número de posições possíveis numa partida de Xadrez. Há diversos trabalhos nesta área e frequentemente ocorrem avanços, com aproximações cada vez melhores. Em 2014, em artigo publicado no International Journal of Game Theory, Stefan Steinerberger, professor de Matemática na Universidade de Yale, publicou uma solução que até o momento é a que mais se aproxima da apresentada por Hindemburg em 2002.

Autor de um aprimoramento no método usado pela NASA e pela ESA para o cálculo de paralaxes estelares, em artigo publicado em 2003. O então diretor técnico do planetário do Ibirapuera e pesquisador no IAG-USP Ednilson Oliveira examinou a proposta, achou interessante e repassou a alguns especialistas brasileiros em Astrometria, mas não deram importância. Ironicamente, em 2016, um grupo de pesquisadores de 15 diferentes universidades de vários países, publicou um artigo conjunto com uma proposta semelhante e o artigo destes pesquisadores está disponível para download na página de Kepler de Souza Oliveira Filho, que foi presidente da Sociedade Astronômica Brasileira e uma das pessoas que “examinou” o artigo de Hindemburg 13 anos antes, mas na época não demonstrou interesse. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/150006/001004677.pdf?sequence=1. Atualmente os trabalhos de mais alto nível utilizam este método, inclusive o projeto GAIA DR2, o mais importante da atualidade em Astrometria.

Em 2015, Hindemburg mostrou a impossibilidade de existirem buracos-negros, em artigo no qual analisa as etapas ao longo do processo de colapso de estrelas cujo núcleo remanescente tenha massa superior ao limite de Tolman-Oppenheimer-Volkoff, e mostra que há inconsistências no modelo tradicional. Einstein nunca aceitou a hipótese da existência de buracos-negros, mas não chegou a apresentar argumentos conclusivos que demonstrassem sua inexistência. 

Em 2001, Hindemburg Melão Jr. propôs aprimoramentos na Teoria da Evolução de Darwin e Wallace, com aplicações no campo da Inteligência Artificial, especialmente Algoritmos Genéticos. A mesma ideia havia sido desenvolvida independentemente por José Antonio Francisco, aproximadamente na mesma época. 
 
Prêmios e distinções:  

 

  • Recordista mundial de mate anunciado mais longo em simultâneas de Xadrez às cegas, registrado no Guinness Book 1998, páginas 110-111.  

  • Recordista mundial de mate anunciado mais longo em Xadrez Epistolar, publicado em no jornal de Pi Society (Grécia-França), em Gift of Fire (EUA), Mensaleinen (Finlândia), ComMensal (Bélgica), Papyrus (Holanda), IQ Magazine (EUA), 2001. 

  • Convidado pelo presidente de Pars Society, Baran Yonter, para ser membro honorário nesta instituição, desde 2001. Pars Society é uma das sociedades de elevado QI mais exclusivas do mundo, para pessoas com escore acima de 180 em testes padronizados pela escala Stanford-Binet ou acima de 220 em testes padronizados pela escala Cattell. 

  • Convidado pelos presidentes de diversas outras sociedades de elevado QI para ser membro honorário, sócio vitalício, sócio benemérito etc., inclusive Etranger Prometheus, Ludomind, Creative Genius Society, ISIS, World Intelligence Network, International High IQ Society, High IQ Society for Humanity etc. Esta última consistia num projeto de apoio a crianças carentes da África, coordenado por David Uddbjorg, em que Hindemburg foi co-patrocinador com doações periódicas durante os anos em que ela se manteve ativa. HIQSH chegou a beneficiar mais de 500 crianças com diversos projetos educacionais, culturais e científicos, posteriormente, em 2004, mudou de nome para “CAILI”, mas infelizmente acabou sendo desativada por falta de recursos. 

  • Apresentação de trabalhos em congressos, simpósios, palestras: 

  • Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – Apresentação de um método de autoria própria para calcular fatoriais fracionários não-inteiros e negativos.

  • Congresso Nacional sobre Robôs de Investimentos – “Um pouco além do índice de Sharpe”

  • Congresso Nacional sobre Robôs de Investimentos – “Testagem e avaliação de estratégias de investimentos”

  • Secretaria da Educação de Araçariguama – palestra sobre “A importância do método científico no processo de aquisição do conhecimento” 

  • Faculdade Metodista – palestra sobre “Heurística aplicada em processos decisórios politômicos” (a mesma palestra foi ministrada em outras instituições de ensino)

  • EMEI Profa. Liani Maria Barbosa dos Santos – palestra sobre “sobre o Cometa Halley” (ministrada aos 13 anos, em 1985)

  • Secretaria da Educação de Bom Jesus dos Perdões – palestra sobre Teoria de Resposta ao Item para normatização de instrumentos de avaliação pedagógica.

  • Secretaria da Educação de Bom Jesus dos Perdões – palestra sobre Xadrez como instrumento pedagógico.4

  • G.C. Brasil – palestra sobre “Análise comparativa entre brainstorming heurístico e randômico”.

 

Entrevistas, reportagens e outros materiais em vídeo: 

Reportagem no Fantástico sobre inteligência e QI com participação de Hindemburg Melão Jr.

Reportagem na TV Vanguarda sobre Hindemburg Melão Jr.

Marcos Ripá, sobre o Sigma Test, de Hindemburg Melão Jr. 

 

Entrevista de Hindemburg Melão Jr. para o canal “AstroNEOS” sobre revisão na idade da Grande Mancha Vermelha de Júpiter 
 

Entrevista de Hindemburg Melão Jr. para o Canal “Xadrez Online” sobre Xadrez às cegas e medidas de performance no esporte
 

Entrevista de Hindemburg Melão Jr. para o canal “Detetives do Cosmos” sobre Astrofotografia planetária 
 

Fragmentos do vídeo sobre a simultânea às cegas no CPP, com Hindemburg Melão Jr. 

Entrevista de Hindemburg Melão Jr. para Márcio Strumiello, da TV Record 
 
Entrevista de Hindemburg Melão Jr. sobre Xadrez para a revista “Conexão Professor”
http://www.sigmasociety.com/entrevista_xadrez.htm 
http://xadrezescolarbrasileiro.blogspot.com/2009/03/revista-conexao-professor-faz-materia.html 

 

Outros vídeos selecionados: 

Seção Oráculo, sobre a existência de Deus, uma abordagem científica, por Hindemburg Melão Jr. 

Seção Oráculo, a massa da Terra está aumentando? Por Hindemburg Melão Jr. 
Parte 1 
Parte 2

Seção Oráculo, “inteligência” pode ser tratada como uma variável quantitativa? Por Hindemburg Melão Jr. 
 

Seção Oráculo, sobre telescópios, por Hindemburg Melão Jr. 
 

Seção Oráculo, sobre o formato da Terra, por Hindemburg Melão Jr.

Seção Oráculo, sobre buracos-negros, análise do vídeo do canal Ciência Todo Dia, por Hindemburg Melão Jr.

Ocultação de Marte pela Lua em 9/8/2020, por Hindemburg Melão Jr., com telescópio Meade 10” LX 200 GPS  

Tour pela Lua, por Hindemburg Melão Jr., com telescópio Meade 10” LX 200 GPS
 
Xadrez, partidas didáticas comentadas por Hindemburg Melão Jr. 

Xadrez, análise de partida entre Alpha Zero e Stockfish, por Hindemburg Melão Jr. 

Artes Marciais, Nunchaku, por Hindemburg Melão Jr. 

Artes Marciais, armas, por Hindemburg Melão Jr. 

 

Artes Marciais, Kamas, por Hindemburg Melão Jr. 

 

Seção Oráculo, sobre aquecimento global, por Hindemburg Melão Jr.
 
Júpiter e 3 de seus satélites, com Meade LX 10” 200 GPS, por Hindemburg Melão Jr. 



Entrevistas, reportagens e outros materiais escritos: 
 
Entrevista para a revista “Grafistas”, sobre vários temas relacionados a Investimentos, Ciência, vida pessoal e profissional
 
Recorde mundial de mate anunciado mais longo em simultâneas de Xadrez às cegas. Guinness Book of Records, 1998. 

 

“Gênios transcendentes”, entrevista para o estudo desenvolvido por John Hallenborg, sobre pessoas com QI no nível de raridade acima de 1 em 1.000.000. 

 

Top-10 novidades teóricas. Sahovski Informator 80 – Novidade teórica entre as 10 mais importantes do mundo no período (semestre). Primeiro brasileiro a receber esta distinção. 
 
Top-20 novidades teóricas. Sahovski Informator 80 – Novidade teórica entre as 20 mais importantes do mundo no período (semestre). 
 
Top-30 melhores partidas. Sahovski Informator 80 – Partida entre as 30 melhores do mundo no período (semestre). 
 
“O gênio mora ao lado”. Resportagem no jornal “O atibaiense”
 
“Um contra muitos, e sem ver!” Resportagens no jornal do CPP – simultânea às cegas no CPP. Ao todo foram 3 reportagens.

 

Partida de Xadrez selecionada no livro “LEARN CHESS FROM THE GREATS”

Citado em matérias do Jornal de Jales (foram 3 reportagens) 
 


Prêmios e distinções na infância e adolescência:
 
Autor de um projeto para um dispositivo óptico que chamou “máquina da invisibilidade”, e foi descrito num livro que participou de um concurso literário em 1993 e foi usado como questão 23 no Sigma Test, em 2001. Em 2003, o Prof. Emérito da Universidade de Tóquio Susumu Tachi desenvolveu um projeto com algumas limitações, mas compatível com a tecnologia disponível atualmente, chegando a construir um protótipo que chamou “capa da invisibilidade”. 
 
Autor de uma “demonstração” incorreta para o Último Teorema de Fermat, em 1992. Apesar de incorreta, foi considerada interessante por acadêmicos de várias universidades, inclusive foi publicada como questão no Sigma Test em 2001; a questão consiste em refutar a demonstração. Em 2003, o professor Kaida Shi, da Zhejiang University, apresentou uma “demonstração” basicamente igual (porém unindo as arestas, em vez de unir as faces e as variedades), mas na essência a ideia é a mesma, porém aparentemente Kaida Shi não percebeu que a demonstração está incorreta e a publicou em https://arxiv.org/abs/math/0309005. 
 
Autor de um método para calcular fatoriais de números não-inteiros, em 1991. Este trabalho foi apresentado em 1994 na Reunião Anual da SBPC e foi muito elogiado pelo diretor do departamento de Física Matemática da USP, Dr. Antonio Fernando Ribeiro de Toledo Piza. Em 2001, criou um segundo método para a mesma finalidade, mas com convergência mais lenta.  

3º colocado no Desafio de Texto e Redação do Etapa, 1994. Este concurso tem abrangência nacional e é aberto a estudantes de todos os cursinhos, bem como aos que não fazem cursinho. Seria equivalente à uma Olimpíada Nacional de Redação, que ainda não existia na época. 
 
2º colocado no Concurso de Redação da revista Trip College, 1993.

Autor de um método para calcular logaritmos diferente do de Napier, aos 13 anos de idade. 
 
Deduziu alguns princípios da Geometria Fractal aos 9 anos de idade. 

Aos 3 anos de idade, foi examinado com testes psicológicos e apresentou desempenho equivalente ao de crianças de 9 anos.  

Campeão de Xadrez na E.E.P.S.G. Prof. Alvino Bittencourt 1986 e bi-campeão na 7ª Delegacia de Ensino, 1986 e 1987. 

 
Suspensão de atividades pela CVM:
 
Em 8 de janeiro de 2013, a CVM publicou a deliberação 701, impedindo Melão Jr. de exercer a função de gestor e de fazer ofertas públicas de valores mobiliários no Brasil, pelo fato de Melão não ter o certificado CGA. 
 
Em 2014 foi promovido um abaixo-assinado, baseado em carta aberta de Hindemburg Melão Jr. dirigida à CVM e à IOSCO, reivindicando a emissão de um certificado CGA em caráter extraordinário, com fundamento no Artigo 4º, §2º, da Instrução 306 da CVM e no fato de que a performance do Saturno V, criado por Hindemburg, era superior à de todos os 283 fundos brasileiros listados no ranking da Infomoney. O teor completo da carta pode ser encontrado aqui https://www.saturnov.org/cartacvm 
 
Vários gestores profissionais de diferentes países, professores universitários e pesquisadores de diferentes áreas assinaram a petição, porém não surtiu efeito. Um dos assinantes da petição foi Dany Provost, membro em Giga Society e citado em algumas das listas das 10 pessoas mais inteligentes do mundo.

Em 15 de janeiro de 2015, o presidente da confederação helvética (que exerce a função equivalente à de presidente da Suíça) fez uma declaração bombástica que afetou dramaticamente o sistema econômico mundial, provocando a maior oscilação já registrada na história do Forex, desde 1970, em que a cotação do franco suíço em relação ao dólar apresentou um aumento excepcional de volatilidade em poucos minutos, oscilando mais de 35%, levando à falência vários bancos e corretoras. Em meio a toda essa turbulência, o Saturno V sofreu uma perda menor que 4% na maioria das contas e não chegou a 7% em nenhuma das contas, mesmo operando alavancado em 100:1 e aplicando 10% de carteira, totalizando uma alavancagem efetiva de 10:1. 
 
Entre abril de 2016 e maio de 2021, o Saturno V foi utilizado na gestão de um fundo europeu e conquistou mais de 20 prêmios internacionais de alta performance em concursos e rankings da Preqin, Barclay’s Hedge e IASG.